CrossFox x EcoSport 1.6 Flex TESTE

O gosto por modelos com apelo fora-de-estrada tem levado os fabricantes a lançar versões com espírito aventureiro, mas sem a sofisticação dos legítimos utilitários esportivos. Seguindo essa receita, a Ford foi a mais bem sucedia ao lançar o EcoSport, modelo que logo se tornou um sucesso de vendas e desencadeou a reação dos concorrentes. No caso da Volkswagen, o CrossFox chegou como uma versão do Fox equipado com itens exclusivos, entre as quais o polêmico estepe na traseira, preso por um suporte articulado.

Não há como negar que o EcoSport se encaixa melhor na categoria de utilitário esportivo que o rival da marca alemã, mas esse último veio para concorrer com o Ford, seja pelo visual “off-road”, ou por detalhes como a suspensão elevada. Na pista, os dois travaram um duelo bastante equilibrado, com ligeira vantagem para o Volkswagen na maioria das retomadas, seja com álcool ou gasolina no tanque, segundo as medições do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT). Durante o teste também foi possível constatar que a discreta melhoria no acabamento diminuiu o nível de ruído do Ford.

ESTILO
Os contornos da carroceria do EcoSport são típicas de um utilitário esportivo compacto. Embora já tenha quase dois anos e meio sem alterações, ainda se mantém atual. A altura livre do solo de 20 centímetros é um pouco maior que a do rival (18,2 cm), assim como a estatura total (1,68 m ante 1,64m). Além disso, a tampa do porta-malas abre na horizontal, facilitando o acesso ao compartimento e levando junto o estepe, solução mais cômoda e bem resolvida que a adotada pela Volkswagen.

Isso porque a tampa traseira do CrossFox é aberta na vertical, o que obrigou a instalação de um suporte articulado, que dificulta um pouco a abertura do porta-malas em algumas situações, como estacionar em vagas apertadas, já que o suporte articulado do pneu sobressalente precisa se deslocar num ângulo próximo de 90º para a tampa traseira ser aberta.

Os dois vêm com rodas de liga-leve de aro 15, mas, no CrossFox, os pneus de 205 milímetros de largura têm perfil mais baixo (60 ante 65 do Ford), o que favorece a estabilidade nas curvas, mas prejudica o uso em terrenos acidentados, já que deixa de absorver melhor as irregularidades do piso e torna as rodas mais suscetíveis a danos causados por buracos, pedras, entre outros. Outra vantagem do EcoSport é a visibilidade, seja pelo ângulo de visão dos retrovisores, ou pela área envidraçada.

O espaço interno do CrossFox mais bem aproveitado e funcional, incluindo 17 porta-objetos, que representam 32 litros de volume total (com espaço, inclusive, para garrafas de água mineral de um litro e meio e porta-revistas). Apesar disso, o Volkswagen tem menos espaço no porta-malas (260 litros, contra 296 l do rival). Por causa das freqüentes reclamações, a Ford diminuiu o nível de ruído com a melhoria do acabamento interno na versão bicombustível.

Mas ainda falta um sistema de com comandos mais fáceis de serem manuseados, como os do CrossFox, que pode ter os principais controles no volante. As instrumentações dos dois poderiam ser mais visíveis. O contagiros do Volkswagen é muito pequeno e os marcadores digitais de temperatura e nível de combustível do Ford dificultam a leitura.

por:Karina

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: